Últimos posts

Destino de Lua de Mel: ÁFRICA DO SUL

Um destino que vai fazer da sua lua de mel um filme: ÁFRICA DO SUL

Mais um post espetacular da nossa colunista Fabiane Teixeira do blog Viagens e Vivências

Estamos mega apaixonados com nossa última viagem à África do Sul. E mesmo sabendo que é um destino que está em alta, que é um excelente destino para família (tem muita atividade para crianças), que é um destino de aventura, um destino de lua-de-mel, a gente não imaginava que seria tão romântico! Que viagem!!!! E é este destino que indicamos para vocês agora, na nossa coluna de viagens do Blog Realizando um Sonho.
A África do Sul é um dos 54 países localizados no continente Africano, brasileiros não necessitam de vistos para viagens de até 90 (noventa) dias, apenas passaporte válido e Certificado de Vacinação contra Febre Amarela. E este último é tão importante, que logo no check in eles já solicitam a apresentação do documento. 

Mas é sempre bom lembrar, também, que estamos vivendo um momento de epidemia, e é nosso dever manter a vacina em dia, independente se vamos viajar para um país que exige o certificado ou não. Para saber como emitir o certificado, clique AQUI.

Voos para a África do Sul não costumam ser baratos. Mas as companhias aéreas que operam no país, tem realizado excelentes promoções (que foi o nosso caso). Pagamos menos de R$ 2.000,00 para o casal nas passagens áreas de ida e volta, a partir de São Paulo com destino a Cape Town. Algo imperdível que não pensamos duas vezes e compramos as passagens para conhecer este país incrível! 

Então, não esqueçam da nossa dica principal: fiquem ligados nas promoções das passagens áreas. Leiam mais AQUI.

Informações básicas sobre o país:

- Idioma: são 11 idiomas oficiais. Mas o inglês é amplamente falado.

- Moeda: Rand sul-africano, que por sinal teve uma forte desvalorização, o que está muito favorável para nós brasileiros. 

- Fuso-Horário: +5 horas com relação ao Brasil

- Direção: mão inglesa, mas o Uber é bem utilizado nas cidades.

Roteiro:

Para confeccionar um roteiro de viagem na África do Sul, você terá uma pequena dificuldade! Isso por quê, quando você começar a prepará-lo vai querer passar em todas as cidades, em todos os lugares, e isso não será possível para pouco tempo! Um tempo razoável para conhecer um pouco do país é de 15 (quinze) dias. 
Não deixe de incluir a Cidade do Cabo (Cape Town), ponto de partida para várias outras cidades, Joanesburgo, se não conseguir fazer toda a Rota Jardim (Garden Route), pelo menos uma parte dela, um Safari, e as regiões das vinícolas próximas da Cidade do Cabo, que são um charme! 

Cidade do Cabo: 

Imaginem uma vibe apaixonante! A Cidade do Cabo é daquelas cidades que você vai ficar apaixonado logo à primeira vista! É uma cidade que possui atração para todo tipo de gosto, e inclusive, nos dias mais nublados, você consegue curtir sem ficar entediado. O povo é alegre, amistoso e atencioso, a comida é deliciosa e barata, e as atrações são muito fáceis de visitar.

Não deixem de visitar a Table Mountain, a Robben Island (compre o ticket com antecedência), o Waterfront, o Jardim Botânico e vinícola mais antiga ainda em funcionamento, a Groot Constantia. 

Stellenbosch e Franschhoek: as duas cidades de vinícolas localizadas próximas da Cidade do Cabo, e que são super fofas! A maioria das pessoas fazem bate-volta, ou ficam um dia. Vale muito a pena ficar pelo menos dois dias na região. 

Garden Route: 

A Rota Jardim, tradução em português, é uma rota que vai desde a cidade de Mossel Bay até Storms River, próximo de Port Elizabeth, pela estrada N2. O percurso possui trechos belíssimos, sendo que muitas cidades valem a pena pernoitar ou ficar por mais tempo. A região de Plettenberg Bay por exemplo, é um dos lugares que vale a pena explorar com mais calma.

Ficamos hospedados no Kurland Hotel, hotel digno de lua-de-mel, onde tive um quarto de princesa! Trata-se de um Hotel Boutique, que é cinco estrelas, possui apenas doze suítes, está localizado no coração da Garden Route, oferece um serviço impecável e exclusivo. 
A partir dali, você pode saltar em um dos bungee jumps mais altos do mundo! A Bloukrans Bridge, que está localizada bem próximo do Kurland Hotel, é a mais alta ponte de bungee jump comercial do mundo e fica acima do rio Bloukrans. O visual é incrível e somente casais muito aventureiros encaram esta aventura! Infelizmente, nós não animamos!

Dentro outros passeios na região, um passeio que vale muito a pena, também, é o Santuário de Elefantes, onde um grupo pequeno de elefantes que por algum motivo foram excluídos de seu bando, foram resgatados e acolhidos pelo Santuário. É um trabalho muito bacana que eles desenvolvem, e além de caminhar com os elefantes, você também pode alimentá-los.
Safari: 

Safari foi um dos pontos mais difíceis da nossa escolha. Isso por que você terá uma grande quantidade de opções, tanto em parques nacionais quanto em reservas privadas. Como ficamos na região do Cabo Ocidental, optamos por fazer um Safari próximo da Cidade do Cabo. Assim, escolhemos o Sanbona Wildlife Reserve, a maior reserva privada da região de Cabo Ocidental, com 54.000 hectares, lar de leões brancos autossustentáveis, além dos famosos “Big 5”, termo utilizado para classificar os animais mais difíceis de serem caçados pelo homem: leão, leopardo, elefante, rinoceronte e búfalo, além de várias outras espécies. 
No Sanbona Wildlife Reserve não é possível realizar o Self Drive (ou self game), que é quando você mesmo dirigir por lugares determinados na reserva ou parque. Para visitá-la, é necessário que o hóspede realize uma reserva em um dos três lodges ou no Camp Explorer. Ambos incluem na diária alimentação completa (exceto bebidas*), hospedagem e dois safaris por dia. 

Nós ficamos hospedados no Gondwana Family Lodge, que é o único lodge do Sanbona que abriga famílias com crianças, e ficamos apaixonados com tantos detalhes e cuidados oferecidos aos hóspedes. Veja detalhe completo sobre a hospedagem AQUI.

Realizamos dois Safaris por dia, um pela manhã, e outro na parte da tarde (quase fim do dia), onde tivemos a oportunidade de ver vários animais selvagens. É importante frisar que, você realizar um Safari, não significa que conseguirá ver todos os animais do lugar! Por isso o ideal é ficar no mínimo dois dias, se possível três, pois a chance de vê-los é muito maior! 
Pelo menos no nosso caso, a experiência com a reserva privada foi muito positiva. Pois há relatos de pessoas que fazem o “self drive” em Parques Nacionais e não conseguem localizar animais, ou se o encontram, tem o risco de ter uma fila de carros para tirar fotos. No Sanbona, os guias comunicavam a todo instante pelo rádio do carro, e quando um animal era visto, imediatamente era comunicado com o outro guia, que consequentemente, levava o grupo para o local onde os animais estavam. 

Isso tudo tem um preço, claro. Mas podem ter certeza de que vale cada centavo! Voltei completamente apaixonada pela África do Sul, e esta viagem entrou para uma das mais incríveis e mais românticas da nossa vida! 

Então, é o destino que recomendamos para vocês de lua-de-mel no post de hoje! 


Fique por dentro das novidades do blog. Cadastre seu e-mail na caixinha "RECEBA OS POSTS POR E-MAIL" na página inicial.

Até o próximo post!



« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário

Postar um comentário