Últimos posts

Baby Blues e Depressão pós-parto merecem atenção

BABY BLUES 

O bem-estar da mãe reflete no bem-estar do bebê. 

Quando conhecemos uma gestante e sabemos que ela deu à luz, pensamos: Ela deve estar se sendo a mulher mais feliz do mundo! Sim, isso é verdade, mas o que poucos sabem é que muitas mulheres após o nascimento, sentem-se tristes e melancólicas e não entendem por que. 

Após, 3 - 4 dias do nascimento do bebê, um fenômeno chamado de Baby Blues pode aparecer e a resposta para isso é muito simples! 

Depois de produzir muitos níveis de ocitocina e endorfinas durante o trabalho de parto, o corpo da mulher leva algumas semanas para recobrar o equilíbrio. Nesse meio tempo, ele oscila entre picos e quedas de endorfinas que se traduzem em momentos de alegria e tristeza inexplicáveis. 

MELANCOLIA 

Além disso, a volta para a casa e uma possível sensação de incerteza sobre o que vem pela frente e deixam as mulheres inseguras e aflitas. 

Às vezes, os motivos da tristeza são aparentemente "bobos", mas a pessoa que está vivendo-o o considera muito importante. 

Melancolia pós-parto ou “baby blues”

A melancolia no pós-parto é definida como uma perturbação emocional que pode durar alguns dias num estado de tristeza, desconforto e choro frequente. 

Habitualmente, este estado desaparece espontaneamente após a adaptação à nova situação familiar e integração do novo elemento nas rotinas da família. 

Os episódios de mudança de humor após o parto são comuns e afetam cerca de 40 a 60% das mulheres. Apesar de o baby blues ser a forma menos grave de depressão pós-parto, é importante não ignorar as mudanças que acontecerão a sua cliente, fique atenta se puder. 

Muitas mulheres sentem-se confusas e tristes após um evento tão feliz. Isto faz com que desenvolvam sentimentos de culpa, se isolem e não falem sobre o que estão sentindo nem para a família e para seu médico. 

Existe uma causa para a melancolia pós-parto? 

Não. A causa exata para o baby blues é desconhecida. No entanto, crê-se que pode estar relacionado com as alterações fisiológicas profundas, de nível hormonal, que ocorrem durante a gravidez e com o nascimento do bebê. Estas alterações podem produzir alterações químicas a nível cerebral, causando depressão. 

A quantidade de ajustes e de adaptação na relação mãe/filho, os distúrbios no sono, as alterações a nível familiar com a inclusão do novo membro e o conjunto de emoções provocadas pela presença do próprio bebê, podem contribuir, também, para este estado de espírito. 

Quais os sintomas da melancolia pós-parto? 
  • Impaciência 
  • Choro 
  • Tristeza 
  • Irritabilidade 
  • Ansiedade 
  • Fadiga 
  • Variações de humor 
  • Insônia 
  • Reduzida capacidade de concentração. 

Quanto tempo dura? 

Os sintomas do baby blues ocorrem normalmente uns minutos ou algumas horas por dia (nos momentos de maior stress). Estes sintomas devem diminuir e desaparecer cerca de 15 dias após o parto. 

Como pode o companheiro, a família e os amigos ajudar? 

A ajuda vem em prestar os melhores cuidados a essa mãe que acabou de dar à luz. Dividir tarefas do dia a dia, ajudar com o novo bebê, preparar uma refeição saudável, cuidar do bebê para que a mamãe tome um banho demorado, chamar a manicure em casa também pode ser uma boa e aí vai. Tudo isso pode ser uma ajuda maravilhosa. 

DEPRESSÃO PÓS PARTO 

Se perceber que o Baby Blues está se prolongando (mais de por 1mês) e afetando a mulher, ou seja, os sintomas foram se instalando gradativamente ao longo de várias semanas e ficando piores a cada dia, ela pode estar desenvolvendo um quadro de depressão pós-parto. 

A DPP geralmente aparece meses após o parto. Elas muitas vezes são a consequência de um Baby Blues mal acolhido e de uma dificuldade da família em adequar-se a seus novos papéis sociais. Estar privado de sono e sofrendo algum tipo de estresse ou pressão psicológica, pode desencadear problemas para lidar com situações do dia a dia. A mãe também pode se sentir menos atraente ou sentir que perdeu o controle sobre sua vida. Qualquer um desses fatores pode contribuir para a depressão pós-parto. 

A DPP é diagnosticada quando a mulher perde a motivação de fazer os atos mais cotidianos, como alimentar-se e tomar banho, e não demonstra mais entusiasmo por nada, nem pelo bebê. 

Neste caso é essencial contar com acompanhamento psicológico. 

DEPRESSÃO PÓS PARTO DO PAI 

Acreditava-se que somente as mães sofriam desse mal, no entanto, novos estudos mostram que elas também podem afetar os pais. 

A depressão pós-parto pode surgir por conta de vários fatores como: 

Preocupação com sua própria capacidade de educar um recém-nascido; A ansiedade em prover uma boa vida para a criança;
Aumento das responsabilidades;
E o suporte que se deve dar a parceira estão entre as causas do problema. 

Neste caso, uma ajuda psicológica pode resolver para o pai também. 

ORGANIZANDO A CASA 

Quando um bebê nasce, ele muda totalmente a rotina da família. 

O pós-parto (principalmente no primeiro mês após o nascimento do bebê), é a parte de maior desafio de adaptação para a mulher. A mulher, devido aos hormônios fica bem sensível, além da rotina de mamadas com intervalos de 2 a 3 horas sem parar. Isso acontece dia e noite e a falta de privação do sono pode desencadear uma depressão pós-parto também. 

A privação de sono deixa qualquer pessoal irritada, imagina uma mãe que está passando por todo um processo novo. 

Por isso, recomendamos que a família deixe o máximo possível a rotina da casa organizada com antecedência. 

A Baby Planner pode ajudar também nessa fase. 


Download gratuito: CRONOGRAMA DA GESTAÇÃO


« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário

Postar um comentário