Últimos posts

Dicas de decoração para o primeiro imóvel

Olá pessoal ! A cada semana que passada nosso novo lar está ficando do jeito que sempre sonhamos. Nada melhor do que decorar nosso lar para que fique com a nossa cara.

Hoje vamos falar de dicas simples, de uma especialista no assunto, para deixar o lar com a cara dos recém-casados.

Tudo acontece ao mesmo tempo, os preparativos do casamento, a procura pelo tão sonhado lar doce lar. Acaba que essa fase fica um pouco conturbada para o casal e cuidar de toda a organização que envolve essa mudança de lares não é nada fácil! Optar por móveis prontos e adequados a cada ambiente, inserir na lista de presentes objetos que harmonizem com a decoração e contar com a assessoria de um profissional são essenciais para que a moradia traduza, com fidelidade, o estilo do casal.

Como diz o ditado: “quem casa quer casa!” Mas um dos grandes desafios do casal, além de pensar nos detalhes e despesas da festa e da cerimônia religiosa, (que não são baratos), é cuidar da mudança e toda a organização que envolve o primeiro imóvel. Além de buscar conforto e aconchego, a tarefa é deixar o novo lar com a cara dos noivos.

Segundo Carolina Lage, sócia do escritório de decoração Lage Falqueto Interiores, localizado em Belo Horizonte, que atende projetos comerciais e residenciais, os noivos que pretendem economizar após os gastos excessivos do matrimônio devem optar por móveis prontos e dispensar aqueles planejados em marcenaria, cujos custos são mais altos. “Antes de sair em busca dos móveis, é preciso definir com cuidado cada cômodo da casa e ter em mente o tipo de mobiliário que será usado”, explica. A decoradora acrescenta que, em uma sala de TV/home theater, por exemplo, é indispensável um sofá mais aconchegante e macio, ideal para relaxar enquanto assiste a um filme. Já em um living, o sofá precisa ser mais rígido para que a pessoa possa se sentar para receber amigos e conversar, sem ficar “esparramada” demais.

Neste processo, é importante contar com os serviços de um designer de interiores no mínimo seis meses antes da mudança, para obter o custo total da nova casa e, consequentemente, planejar-se da melhor forma possível. Como é uma fase conturbada, com todos os preparativos da cerimônia, é essencial contar com o auxílio de um profissional especializado, que poderá ajudar o casal na escolha dos móveis de forma harmônica e alinhada aos ambientes da casa. “Muitos casais compram os móveis sem uma consultoria e, na hora de inserí-los nos cômodos, constatam que a compra foi desnecessária. Alguns, inclusive, chegam a não fazer medidas prévias antes da compra e, consequentemente, levam prejuízo quando os móveis não cabem nos espaços”, ressalta Carolina. Para aqueles que gastaram demais no casório e estão com a grana curta para contratar os serviços de um decorador, o ideal é que este profissional contribua, pelo menos, com a criação do layout da nova casa. “De posse do layout, o casal conseguirá, no mínimo, aproveitar os espaços da melhor maneira possível, de forma funcional e estratégica, além de comprar móveis adequados”, enfatiza.
Imagem: Pill Gloor

Sala de Estar: Poltronas, tapete e papel de parede. Móveis soltos são aliados quando o imóvel é alugado. 

Quando se fala em casamento, a famosa lista de presentes pode ser uma aliada para os noivos angariarem alguns objetos que serão úteis na decoração desejada. De acordo com Bárbara Falqueto, sócia-proprietária de Carolina, alguns utensílios, como um abajur, um adorno ou eletrodomésticos específicos, que ‘casem’ com a decoração planejada, podem ser incluídos nos pedidos, evitando que o casal tenha que trocar ou até gastar mais depois. Para não haver erros e o casal ganhar itens compatíveis com o estilo da casa, as designers de interiores ficam responsáveis pela elaboração da lista e toda a assessoria aos clientes sobre quais peças e acessórios são ideais para compor os cômodos. “É importante lembrar que a decoração da casa dos recém-casados deve ser pautada pelo respeito e equilíbrio. Antes de se pensar em móveis, cores ou texturas, o casal deve chegar a um consenso para que a residência não tenha unicamente a cara da mulher ou exclusivamente os gostos do homem. O ambiente deve ter referências de ambos e o decorador deve orientar como balancear isso no resultado final”, explica Bárbara.

Imóveis alugados ou próprios

Muitos casais não começam a vida a dois, de imediato, em uma casa própria. Para aqueles que optaram ou recorreram ao aluguel, Carolina afirma que grandes reformas, por serem caras, são dispensáveis. “Não compensa, por exemplo, trocar o piso e o gesso. O ideal é fazer reformas mais simples, mas que, mesmo assim, contribuem para melhorar o visual, como o uso de papel de parede, cores e texturas”, diz. Essas medidas, conforme pontua a profissional, também deixam o imóvel com a cara dos moradores, sem a necessidade de obras demoradas e complexas.

Caso o imóvel não seja de aluguel, a dica é mexer primeiro nas partes mais essenciais de qualquer casa: gesso, elétrica e iluminação. O trio é o esqueleto dorsal da residência e, portanto, deve ser priorizado. “Devem ser feitos com total planejamento, pois não compensa alterá-los depois”, afirma Carolina. Somente após essas mudanças mais estruturais é que o casal deve partir para os aspectos visuais, que podem ser alterados pouco a pouco, conforme o orçamento dos noivos.
Imagem: Pill Gloor

No quarto de casal, parede da cama revestida com papel de parede dispensa o uso da cabeceira. Uso de espelho nas portas dos armários amplia o ambiente.

Por fim, pensar nos detalhes e inovar, na medida do possível, utilizando os recursos e técnicas que decoração oferece, faz toda a diferença. “O interessante é evitar os clichês. A clássica foto dos noivos na igreja, por exemplo, muito comum em porta retratos na sala de estar, pode ganhar outras roupagens, como ser plotada no quarto, impressa em adesivo, no acrílico espelhado e muito mais. O que vale é criar um espaço que traduza com originalidade o estilo do casal”, finaliza Carolina.

*Matéria colaborativa.
« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário

Postar um comentário